<$BlogRSDURL$>

A grande vantagem de ter um blog é que uma pessoa pode escrever sobre o que bem lhe apetece.

quarta-feira, março 31, 2004

"Há com cada pega-monstro por aí..."
Piropo de um amigo a uma rapariguita que passava. Não consegui conter o riso. E quais são os vossos piropos favoritos, hein?
Ontem tive um dia daqueles… Para além de saber que vou ter que fazer exame a uma cadeira que não estava à espera, descobri que numa outra cadeira prática o meu grupo de trabalho vai bastante atrasado em relação aos outros devido a todos os elementos do meu grupo terem terminado o estágio relativamente tarde e tive grande parte da noite a passar cadernos de matérias do primeiro semestre que, devido ao estágio, não pude assistir, ao som da compilação Hôtel Costes 5 by Stéphane Pompougnac (belíssimo álbum Lyric, tens de ouvir!). Além disso, fundi duas lâmpadas lá em casa (devia ser a minha energia negativa acumulada ou assim) e parti um copo enquanto lavava a loiça… Safa, que há dias maus… O dia só se salvou quando vi pela milésima vez na RTP O Paciente Inglês, filme (para “gajas”, como se diz lá em casa) que adoro e que me emociono sempre que vejo (aquela música, meu Deus…).
O que vale é que hoje vou ter o já tradicional Jantar de Amigos da Quarta-feira, onde se come bem, bebe-se melhor ainda e ainda se ouvem umas conversas engraçadas (Lamego, amigo, esquece esta parte, ok?). Além disso, pode ser que ganhe umas coroas a jogar ao Sobe e Desce (jogo de cartas no qual se joga a dinheiro e onde costumo ter sempre muita sorte). Sim, que hoje estou com uma vontade de me divertir, ui ui!!!
A sonda europeia Mars Express anunciou a existência de metano na atmosfera de Marte. O metano é um gás biogénico, ou seja, é produzido por organismos vivos.
Se as leituras da sonda estiverem correctas, e se forem confirmadas, então este poderá ser um indício da existência de vida (passada ou presente) naquele planeta. Outra possibilidade, menos interessante, é que o metano tenha ficado encapsulado em zonas internas do planeta desde a sua formação, há muitos milhões de anos, estando agora apenas em processo de libertação para a atmosfera.
Realmente, a primeira possibilidade é a mais aliciante. Vai-se a ver ainda descobrimos o esqueleto dos homenzinhos verdes que por lá puderam ter andando.
Às Terças-feiras, juntamente com o jornal Diário de Notícias, sai uma colecção de livros, a Biblioteca DNa, que junta dois dos meus maiores prazeres: a leitura e o cinema.
Os livros são as histórias originais dos filmes que ganharam o Óscar de Melhor Argumento Adaptado. Dos quatro que já saíram, dois li de uma assentada (Forrest Gump de Winston Groom e Rain Man de Leonore Fleischer) e estou a meio de um outro (O Clube dos Poetas Mortos de N. H. Kleinbaum). Tentei ler A Laranja Mecânica de Anthony Burges, mas o facto de o autor inventar palavras e criar uma linguagem nova, não favoreceu a minha leitura e desisti lidas cinco páginas.
Mas a colecção é de facto muito boa e aqui fica o conselho. O próximo será As Ligações Perigosas de Pierre Ambroise Choderlos (cujo filme é desempenhado pela Glen Close e John Malkovitch) e é o quinto da colecção, mas se tiverem realmente interessados, podem tentar adquirir os outros.
A Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas anunciou ir distribuir mais de 500 cartazes publicitários junto de vinte Associações de Estudantes do Ensino Superior promovendo a Condução 100% Cool.
O Condutor 100% Cool é aquele que, segundo a associação, passa uma noite em grupo sem consumir bebidas alcoólicas, disponibilizando-se para transportar em segurança os amigos a casa.
Não acredito, pela minha experiência de estudante bebedora, que esta iniciativa resulte positivamente. Isto porque é sabido que aquele que, saindo em grupo, não bebe, é apelidado de “maricas”, “fracote” ou outros nomes piores que não vou por aqui. A não ser que os bares arranjem promoções para os amigos do condutor cool, do tipo “Traz um amigo que não beba e ganha um shot de graça”. Mas isto acho que não é muito viável, porque os bares não querem que as pessoas não bebam (antes pelo contrário) e não dá para provar se o amigo cool bebe realmente ou não.
Hum, acho que o melhor é mesmo continuar a adoptar o mesmo sistema, que é aquele que tiver melhor, ou seja, o único que conseguir andar em frente sem cair e dizer “O Rato Roeu a Rolha da Garrafa de Rum do Rei da Rússia” sem gaguejar, telefona para a Central de Táxis e pede um…
Na Visão de Quinta-feira passada, vem um artigo bastante interessante intitulado “Costela de Eva". Este trata sobre as diferenças biológicas entre os homens e as mulheres, em que foi provado que, afinal, o sexo fraco é o masculino (geneticamente falando, claro…).
Algumas curiosidades do artigo:

Os homens morrem, em média, cinco anos mais cedo que as mulheres;
O suicídio é três vezes mais perigoso para os rapazes do que as raparigas;
Os rapazes, em jovens, envolvem-se duas vezes mais em acidentes violentos;
Existem mais gémeas do que gémeos, já que as meninas resistem melhor à partilha do útero;
Só após um mês de vida (!) é que um bebé do sexo masculino atinge a maturidade de uma menina recém-nascida;
Os homens resistem pior às infecções e ao cancro;
A hormona masculina produzida nos testículos, a testosterona, é considerada perigosa. A título de exemplo, se se castrar um jovem, a sua esperança de vida aumenta cerca de 13 anos (!).

Interessante, não?
Uma revista pornográfica holandesa, a Passie (“Paixão” em português), fintou a vigilâncias dos novos estádios portugueses e fotografou mulheres nuas dentro dos recintos desportivos.
Um fotógrafo e uma vistosa mulher vestida de fato-de-treino aproveitaram breves instantes em que o funcionário do clube se terá ausentado e tiraram as fotografias pornográficas no Estado Afonso Henriques, em Guimarães.
Quando o facto foi descoberto pelos responsáveis do Guimarães, descobriram que a dupla já tinha feito o mesmo nos Estádios do Bessa e do Algarve.
De facto, parece que Portugal, através do Euro, está mesmo a ser bastante publicitado no estrangeiro e em várias áreas…
Hoje tenho muitos posts para colocar. Vamos lá então começar…

terça-feira, março 30, 2004

Descobri agora que, apesar do meu professor não se importar, não vou poder fazer uma frequência porque, devido ao estágio, não tenho as presenças necessárias… Isto significa que em Julho ainda andarei por cá, a fazer exames…
Estou tão tristinha que nem mil beijinhos me farão melhor. Quer dizer, mil beijinhos e uns quantos abraços já me fariam sorrir…

segunda-feira, março 29, 2004

Apesar de não comentar aqui, tenho continuado a ver muitos filmes. Não tenho dito nada porque os últimos que tenho visto não são nada de especial e daí acho que não vale a pena andar a perder o meu tempinho controlado de Internet a escrever sobre isso.
Mas este fim-de-semana foi diferente. Vi, pela primeira vez e sozinha (o que piorou um pouquinho as coisas) O Aviso (The Ring, no original), com a brilhante Naomi Watts.
O filme é sobre uma cassete de vídeo com imagens horripilantes que, quem a vê, recebe imediatamente um telefonema a dizer que irá morrer passados sete dias. E a verdade é que todos os que viram a cassete morrem... Este é o começo do pesadelo de uma jornalista (Naomi Watts), que decide investigar o caso e tentar descobrir o enigma da cassete e de quem a realizou.
Sinceramente não aprecio muito filmes de terror. Mas como estava sozinha em casa, agarrei-me mesmo ao filme e, apesar de dar os meus saltinhos e gritinhos, até gostei. Os promenores cruzam-se bem entre si, não ficando nenhuma ponta solta na história. O final é surpreendende e as interpretações estão boazinhas.
Recomendo, mas não façam como eu. Vejam-no acompanhados, porque nem imaginam o salto que mandei quando o meu telemóvel tocou quando acabei de ver o filme...
Já estamos na Primavera, certo? O tempo, supostamente, já deveria estar mais quentinho, não? O Sol, devido ao movimento de translação, está a ficar cada vez mais perto da Terra, não é?
Então porque é que ontem, em pleno final de Março, caiu um nevão aqui na Guarda? Levantei-me eu para ir beber água, olhei para a janela distraidamente, quando vejo tudo branquinho! Acho que é o ano que mais tem nevado cá, o que é óptimo.
Mas estranho é o timing. Estou fartinha de frio. Quero sol, quero calor!!!
Já dizia o meu avô que desde que os homens foram à Lua, o clima ficou todo trocado. Realmente não sei onde eles andaram a mexer, mas que já devia estar mais calor, já! É que vocês nem imaginam quantos graus estão cá hoje...

... (pausa para lançarem valores...)

Pois, falharam (telepatia...)! Estão 5º! CINCO! Horrível...
À coisa de duas semanas atrás, o queridíssimo Tomas Tapilula mandou-me umas mil receitas de sobremesas. Dizia ele no email que aparento ser uma grande gulosa. Nada mais errado... Gosto do meu chocolatito de vez em quando, mas não sou, de todo, gulosa. A Joana (que me conhece bem) que diga...
Mas adorei o email e a verdade foi que experimentei umas quantas receitas (o pessoal lá de casa é que adorou, menos a rapariga que mora comigo, que não gosta de chocolate... acreditam???).
Portanto, aqui vai uma doçaria para vós, fiéis alternativos.

Tarte de pastel de nata

Dificuldade: Média. Ideal para... comer tudinho!!!

Ingredientes:

Massa:
150 gr. de farinha
60 gr. manteiga derretida
60 gr. de açúcar
1 ovo

Creme:
150 gr. de açúcar
50 gr. de farinha maizena
3 gemas
½ de leite
raspa de limão

Para fazer a massa, junta-se tudo junto num alguidar e amassa-se tudo muito bem. Quando a massa estiver pronta, coloca-se no fundo de uma tarteira.

Para o recheio, deita-se tudo num tacho e quando estiver a ferver deixa-se engrossar, mexendo sempre. Coloca-se em cima da massa e vai ao forno até ficar tostada (atenção com o forno, para não queimar a base, ah?).
Leva a coser cerca de 45 minutos, mais ou menos.

Sugestão: No creme, se se quiser mais quantidade, basta fazer a receita a dobrar.

E cá está! Deliciem-se, mas cuidado! Depois de pronto, esperem até arrefecer, senão vão viver para a casa-de-banho.

sexta-feira, março 26, 2004

Lino (gesticula para se fazer entender pela empregada de balcão) – Queria uma mini!
Cristóvão – Pede-me uma também…
Lino (estica dois dedos na direcção da empregada) – Duas!
Sofia – Eu também queria uma…
Fred – Aproveita e pede uma para mim…
Duxo – Oh, pede uma grade…!
Lino – E como é que eu peço isso em gestos…?
Este é um post de alerta para as meninas!

Sempre pensei que apenas as mulheres partilhavam os pormenores das suas relações com as amigas. É mentira. Os homens falam tanto ou mais que nós com os amigos. Também eles contam uns aos outros as suas posições preferidas, o que os leva ao rubro e o máximo de quecas que deram numa noite.
Eu sei disto porque ouvi um grupo de amigos a comentar as suas experiências sexuais. E fiquei escandalizada! Quer dizer, nós é que temos a fama de coscuvilheiras, mas eles também o fazem. E pela calada…
Não achei piada nenhuma! Imaginar o meu namorado a contar aos amigos o que fizemos na noite anterior não é a minha fantasia favorita…

quarta-feira, março 24, 2004

Hoje recebi uma encomenda com os meus óculos para ler que os meus paizinhos me enviaram (sim, que tive que aumentar a graduação das lentes, o que significa que estou a ficar mais cegueta…).
Era um pacote pequenino e, ao abri-lo, lá estava os óculos, rodeados por toneladas de papel para não se partirem. Mas o que mais me admirou foi o facto de eles (os meus papás) não me terem mandando uma cartinha sequer a acompanhar a encomenda.
Eu falo com eles por telefone, mas uma pequenina nota não ficava nada mal. Qualquer coisa como “Aqui estão os teus óculos. Beijinhos. Pai e Mãe” ou “Vê lá se agora estudas mais. Beijinhos. Pai e Mãe” ou ainda “Isto não é uma bomba. Beijinhos. Pai e Mãe”…

Moral da história: Tenho uns pais muito pouco criativos…

segunda-feira, março 22, 2004

Quando fiz a lista dos cinco álbuns da minha vida, lembrei-me logo de fazer o mesmo para os filmes. Mas as ideias vão e vêm e só agora tive tempo de escrever o post.
Estes são os cinco filmes que mais me disseram algo (falta aqui O Fabuloso Destino de Amélie, mas cinco são apenas cinco). Não vou por qualquer tipo de comentário, porque um filme toca as pessoas de diferentes maneiras (vejam a controvérsia que se gerou à volta da Paixão de Cristo). Sejam participativos e deixem também as vossas escolhas.

Estava eu a fazer a visita habitual às alternativas ao alternativo, quando me lembrei que hoje era Segunda-feira e, consequentemente, dia de receita.
Têm de me desculpar, mas eu, nos últimos dias, tenho andado com a cabeça nas nuvens… Vocês percebem: é a Primavera!!!
Assim sendo, não tinha nada preparado para postar hoje, mas como “mulher prevenida vale por duas”, ponho aqui uma receita que o querido comentador Bufas100 me mandou à umas semanas. Eu ainda não experimentei, mas como acredito nos seus dotes, cá vai.

A seguinte receita é da inteira responsabilidade de Bufas100. Todas as queixas que houverem devem ser mandadas para aqui.

Feijoada à moda do Bufinhas (6 pessoas)

Dificuldade: Acho que não é muito fácil, mas se ele consegue, nós também. Ideal para comer e ficar em casa, para não asfixiar as pessoas à nossa volta…

Ingredientes:
2/3 latas grandes de feijão
2 cenouras
1 couve lombarda pequena
Cebola
Alho
Toucinho
700 g de entrecosto aos pedaços (ou entremeada)
1 chouriço de carne
1 chouriço de sangue
2 farinheiras
1 morcela
arroz
azeite
sal
pimenta
tabasco
cravo de cabecinha.
Vinho branco (1 pacote pequeno)

Num tacho cozer a couve (10-15 min. em água a ferver). Escorrer e guardar.
Descasque e corte as cenouras em fatias finas. Numa panela grande, com um fundo de azeite, junte a cebola, a cenoura, o bacon cortado aos pedaços e o chouriço de carne também cortado às rodelas. Deixe refogar.
Quando a cebola já estiver alourada, junte a carne (de preferência a carne já está temperada com alho e vinho branco, pelo menos 2 horas antes) e deixe fritar um pouco. Junte então o vinho branco e os temperos a gosto. Deixe cozer cerca de 20 min. Se necessitar de mais líquido, junte o líquido das latas de feijão.
Enquanto a carne coze, corte as couves em pequenos pedaços.
Junte as latas de feijão e as couves, deixe ferver em lume brando por mais 15 min. Prove e corrija os temperos.
Enquanto prepara a feijoada, coza os outros enchidos que serão servidos à parte numa travessa.
Coza também uma boa porção de arroz branco para acompanhar a feijoada.

Sugestão: Quando cozer os enchidos, atenção que a morcela demora bastante mais tempo que a farinheira, que demora apenas cerca de 5 min. Não esquecer dos furinhos nos enchidos, senão o resultado é uma sopa de enchidos.

E pronto, cá está. Prometo que para a próxima semana, esta desatenção não se voltará a repetir... Bom apetite!

sexta-feira, março 19, 2004

Gosto de curiosidades. Quando se está no café e já não há mais conversa, tiradas como "Sabiam que a coca-cola inicialmente era verde?" pode salvar o resto da tarde e gerar conversas bem interessantes. Aqui vão as minhas favoritas:

A American Airlines economizou 40.000 dólares em 1987 eliminando uma azeitona de cada salada servida na primeira classe.
28% da Africa é selvagem e não explorada, mas nos Estados Unidos a percentagem é de 38%.
O quack de um pato não produz eco e ninguem sabe porquê.
Pessoas inteligentes têm mais cobre e zinco no cabelo.
A Islândia consome mais coca-cola per capita do que qualquer outro país.
A frase "The quick brown fox jumps over the lazy dog" utiliza todas as letras do alfabeto e foi criada pela Western Union para testar as suas máquinas de teletipo.
"Aguenta, vagabundo" é o hino oficial do estado de Ohio, EUA.
A biblioteca da Universidade de Indiana afunda 2 cm por ano porque, quando foi construída, os engenheiros esqueceram-se de incluir o peso dos livros no cálculo das fundações
Cada rei de um baralho de cartas representa um grande rei da história: Espadas: Rei David; Paus: Alexandre, o Grande; Copas: Carlos Magno; Ouros: Júlio César.
O olho da avestruz é maior do que o seu (dela) cérebro.
A urina do gato brilha com luz ultravioleta.
A noz-moscada é extremamente venenosa se injectada nas veias.
Apenas uma pessoa em cada 2 bilhões viverá mais que 116 anos.
Em Cleveland, Ohio, é ilegal apanhar ratos sem licença de caça.
Há, em média, 178 grãos de gergelim em cada Big Mac.
É possível conduzir o gado para cima, mas não para baixo.
Em 10 minutos, um furacão liberta mais energia do que todas as bombas nucleares existentes no mundo.
O isqueiro foi inventado antes dos fósforos.
O coração bombeia o sangue com uma pressão suficiente para esguichar o sangue a uma altura de 9 metros.
O músculo mais potente do corpo é a língua.
E impossível espirrar com os olhos abertos.
E impossível suicidar-se parando a respiração.
Em média, os americanos consomem 72.800 metros quadrados de pizza por dia (uma área de 270m x 270m).
Há mais hipóteses de morrer com uma rolha de champanhe do que com uma aranha venenosa.
Os destros vivem em média 9 anos mais que os canhotos.
O crocodilo não pode pôr a língua de fora.
O urso polar é canhoto.
A pulga pula 350 vezes sua altura, o que equivale a uma pessoa dar um pulo de uma altura igual à largura de um campo de futebol.
As borboletas sentem gosto com os pés e não com a língua.
A estrela-do-mar não tem cérebro.
Em 1995, um japonês recitou, de memória, os 42.000 primeiros dígitos do número Pi (3,14159...) em 9 horas.

Bom fim-de-semana e surpreendam os vossos amigos com estas curiosidades engraçadas!

quinta-feira, março 18, 2004

Para terem uma ideia da vista que tenho da minha casa cá na Guarda, aqui vai uma foto tirada à coisa de um ano, num amanhecer.



Era uma manhã de nevoeiro, mas que apenas tapou o vale, ficando com este lindo efeito.

Já há muito tempo que não tinha uma noite assim... Ai, estou tão bem disposta!!!

quarta-feira, março 17, 2004

Estava tão tristinha... Tinha jantar de turma hoje, ao qual não ia porque tinha de estudar para um exame que ia ter na Sexta-feira. Mas o professor veio agora mesmo ter comigo e disse-me que afinal não vem na Sexta e perguntou-me se eu não me importava de mudar a data para a próxima Quarta.
Agora, para além de ter mais cinco dias para estudar, vou poder ir hoje para a copófonia (palavra inventada por mim, que quer dizer que vou para os copos!) Olé!
Recebi isto por mail. Acho que é sempre bom uma pessoa saber estas coisas (a mensagem está escrita em português do Brasil).

"Eu sempre tive curiosidade de saber o que significavam aquelas placas que eles colocam na fila de sanduíches no McDonald's.
Darei esse esclarecimento: Trabalhei no McDonald's nos EUA por oito meses como chapeiro até chegar a gerente em 1987.
Todos os sanduíches têm validade de dez minutos. Vencido prazo, têm que ser jogados num lixo especial para contagem ao final do expediente. Em função de estudos feitos pela saúde pública americana juntamente com o McDonald's, vencido o prazo até completar VINTE MINUTOS, o sanduíche fica com a textura modificada, principalmente as carnes, e com a temperatura abaixo da exigida.
VINTE MINUTOS após o preparo, entra em processo de decomposição ou alteração por bactérias.
Os gerentes têm uma quota máxima mensal suportável de sanduíches jogados fora. Ultrapassada essa quota, eles perdem pontos na avaliação mensal feita com todos os funcionários e podem até perder o emprego.
Esse critério existe para que eles sejam eficientes na avaliação em relação à quantidade da clientela nas filas e o número e tipo de sanduíches que ele próprio deve pedir que sejam feitos, evitando assim o desperdício.
A responsabilidade pela confecção dos mesmos é dele e não deve ficar com os chapeiros.
Por aí vocês têm uma ideia de que existem sanduíches vencidos ainda sendo entregues para os clientes.
Vou dar uma dica para quem não sabe:
Atrás de cada grupo de sanduíches prontos no balcão, existe uma plaquinha de metal com um número. O número da
plaquetinha é exatamente o número correspondente à validade.
Exemplo:
1 - Se os sanduíches foram feitos às 12:00h, a placa atrás
do grupo deve conter número 2, o que quer dizer que eles valem até às
12:10h.
2 - Se foram feitos às 13:25h, a placa deve conter o número 7, significando
que eles valem até às 13:35h e assim por diante (os números correspondem aos números dos relógios, mas se tiver dúvidas, deve multiplicar o número da placa por 5).
Por coincidência, ontem fui com meu filho e minha esposa no McDonald's da QI-11 Lago Sul e em função da minha reclamação, que é usual nos McDonald's de Brasília, e depois da ameaça de chamar a saúde pública e efetuar denúncia no PROCON, quase todos os sanduíches foram para o lixo, e sem contestação ou argumentos por parte do gerente.
Sugiro nunca pedir McDonald's pelo telefone. Pode chegar podre!
Na dúvida e no balcão, peçam o sanduíche Grill. Assim eles terão que fazer o
seu na hora."

Horrível, não?
Terrorófobia – Parte II

(Conversa do fim-de-semana passado)
Mãe – Olha lá uma coisa…
Eu – Hum…?
Mãe – Aquele concerto que queres ir faz parte do Rock in Rio?
Eu – Não mãe. Faz parte do Super Bock Super Rock.
Mãe – E é em que dia?
Eu – Eu quero ir na Sexta, dia 11 de Junho.
Mãe – Pois, mas desculpa lá, só que não te deixo ir.
Eu (incrédula) – Hã?
Mãe – Nem penses nisso Sofia. Desculpa lá mas não…
Eu – Mas porquê? O que é que se passa?
Mãe – Tenho medo. Ouvi ontem no telejornal que mandaram uma carta para o Correio da Manhã a dizer que iam fazer um atentado em Portugal e eu tenho medo.
Eu – Oh mãe, por favor…
Mãe – Oh Sofia, nem penses. Eu já ando toda preocupada quando andas de comboio… Ainda por cima dizes que é dia 11… Não, nem pensar.
Eu – ‘Tá bem, depois falamos melhor.
Mãe – Sofia, por favor, é melhor não. E não faças esse ar de gozo, que eu estou a falar a sério… Mais vale prevenir…

Moral da história: Não há paciência para aturar estas mães…
Terrorófobia* – Parte I

Estava eu ontem quase a entrar para o comboio que me levaria para a Guarda, quando entram à minha frente dois marroquinos. O meu pai puxa-me e diz-me baixinho: “Afasta-te desses tipos!
Não percebi o que ele quis dizer com aquilo e, ao dar-lhe dois beijinhos de despedida, ele, em vez das frases do costume (“Tem juízo”, “Porta-te bem” e “Estuda”), olha muito sério para mim e diz “Procura um lugar longe das malas. Tenta ficar no meio da carruagem…” Sem perceber nada disse-lhe “Mas pai, o lugar já está marcad…” E então veio-me à memória o 11 de Março.
- Ai, pai, por favor!
- Nunca se sabe. E, por favor, telefona quando chegares para eu ficar descansado…
- (voz aborrecida) ‘Tá bem…
- … e se vires algo estranho, afasta-te. E, por favor, não te esqueças…
- Adeus pai…
- … de telefonar, ouviste? Se eu não tiver, deixa mensagem. E…

Moral da história: Não há paciência para aturar estes pais…
* Palavra inventada por mim.

segunda-feira, março 15, 2004

Hoje, antes de vos dar a receita, ponho aqui o endereço de um site só de receitas, que descobria via marretas. Lá podem encontrar variadíssimos pratos e até um SOS Cozinha para os meninos e meninas que não são dotados para a cozinha. Está muito bem feito e sugiro desde já que espreitem a Cozinha Internacional e as Receitas Afrodisíacas. Eu já tirei alguns pratos que irei experimentar (utilizando os meus colegas de casa como cobaias, claro) e depois coloco aqui os meus preferidos.
A minha proposta para hoje é de comer e chorar por mais.

Bife de Novilho com Molho de Queijo (4 pessoas)

Dificuldade: Médio. Ideal para quem não está a fazer dieta…

Ingredientes:
Bifes altos de novilho (1 por pessoa)
3 cebolas
5 alhos
Margarina
1 dl. de vinho branco
2 dl. de natas
280 gr. de queijo de ovelha curado amanteigado
4 fatias de pão de centeio
Sal, pimenta e noz moscada q.b.

Faz-se um refogado com a margarina, a cebola e os alhos bem picados. Rega-se com o vinho e, assim que ferver, junta-se as natas. Retira-se do lume e deixa-se arrefecer uns cinco minutos (não é precioso usar cronometro…). Juntam-se 200 gr. do queijo e tritura-se depois tudo com a varinha mágica.
Vai novamente ao lume e tempera-se com sal, pimenta e noz moscada.
Grelha-se ou frita-se os bifes, temperados com sal e pimenta. Tosta-se as fatias de pão e gratina-se o restante queijo (em lume muito baixinho, para não queimar).
Serve-se os bifes com o molho e põe-se por cima as tostas com o queijo gratinado.
Pode-se acompanhar com batatas assadas no forno.

Divinal, não?
Vem uma pessoa com a mala cheia de camisolas de gola alta, casacos e cachecóis e está este tempinho em que só apetece estar numa esplanada a comer gelados... Hum...!!!
Gosto de ler. Já li bem mais do que leio agora, mas se um livro me agarra, sou capaz de o ler de uma assentada (quando tenho tempo, claro). Era isso que estava a acontecer com “Um Espião Perfeito”, de John Le Carré. Estava mesmo empolgadíssima a lê-lo, porque estava a chegar ao final da história e à resolução de todas as perguntas que fui fazendo ao ler o romance quando, qual não é a minha surpresa, percebo que há vinte páginas quase do final que são a repetição de umas páginas logo no início.
Fiquei tão furiosa! O fim está correctamente encadernado, mas não vou saltar vinte páginas importantíssimas da história…
Conclusão: amanhã vou telefonar para o Público para reclamar da má encadernação e ver se eles me trocam o volume. Sim, porque eu estava a gostar tanto que se eles não trocarem, acho que vou comprar outra edição só para lê-lo nas condições devidas.
Se algum de vocês também está a coleccionar os livros Mil Folhas, verifiquem se as páginas 481 à 504 do livro 85 estão lá ou se é como o meu que as substituíram por outras.
Cheguei agora mesmo do cinema onde vi a Paixão de Cristo. E não sei o que dizer…
O filme de Mel Gibson relata as últimas horas da vida de Jesus de Nazaré, desde que foi capturado pelos judeus, graças à ajuda de Judas, até à sua morte e posterior ressurreição, com pequenos flashbacks que fazem a ligação entre acções passadas e o presente da acção. Retrata os Evangelhos com as personagens principais e é falado em aramaico e em latim (foi engraçado para mim, que tive latim no secundário, perceber algumas palavras e pequenas frases) que dá bastante veracidade ao filme.
Gibson, na Paixão de Cristo, centrou-se principalmente no sofrimento físico de Jesus e é aqui que está a essência do filme: o padecimento terrível que Jesus passou naquelas horas.
Há duas hipóteses, na minha opinião, de ir assistir ao filme: vê-lo apenas como uma obra cinéfila ou como um acontecimento histórico da religião cristã.
Tive uma educação católica praticante. Fiz a catequese e o Crisma, mas nunca fui muito religiosa. Gostava da catequese pelos colegas e pela mensagem, pelas metáforas, pelo Bem. Mas há uns tempos para cá que ando com a passar uma crise religiosa. Ando com dúvidas. Sei que há um Deus, mas não tenho fé. Ou vice-versa… É complicado explicar. Nem mesmo eu sei no que creio.
Mas mesmo com este turbilhão de dúvidas foi impossível assistir ao filme apenas como um filme. Foi impossível não me emocionar. Foi impossível não pensar no que Ele sofreu.
O filme é duro. Mesmo muito forte. Nada aconselhado a pessoas sensíveis. Eu sabia que o Mel Gibson é um católico fervoroso, logo o filme tinha de ser fortíssimo. Já me tinham avisado, eu mesma já sabia do sofrimento do caminho para o calvário, mas uma imagem vale mesmo mais que mil palavras.
É um filme que não posso aconselhar, porque acho que deve partir de cada um a vontade (se houver) de o ir ver. Marca…

sábado, março 13, 2004

Depois de uma viagem enfadonha de comboio, já estou na margem sul para passar o fim-de-semana com a família e amigos. Tenho umas quantas coisas que gostava de fazer, como ver a Paixão de Cristo, estar com uns amigos e fazer um update no PC, vamos ver se faço tudo o que tenho planeado.
Queria ainda deixar aqui algumas notas breves sobre estes dias que estive sem vir ao alternativo.

Em primeiro lugar, não posso deixar de prestar a minha homenagem às vítimas do 11 de Março em Madrid. Qualquer acto terrorista deve ser repudiado e um atentado desta dimensão num país europeu deveria sensibilizar todos os cidadãos europeus, bem como alertar para o perigo do terrorismo e dos atentados em massa.
A jeito de especulação, penso que este atentado terá sido protagonizado pelos árabes da Al-Qaeda e não pela ETA. Isto porque não só foi encontrada uma carrinha com sete detonadores e uma cassete com versículos do Alcorão perto do local do incidente, como este não é o modo de actuar da ETA.
Para bem da segurança mundial, espero estar enganada, mas não sei não. E já repararam na coincidência entre o dia do atentado em Nova Iorque e agora o de Madrid (11 de Setembro e 11 de Março…)?

A excelente exibição do Benfica na Quinta-feira contra o Milão surpreendeu todos os que não acreditavam que o Benfica tinha equipa para ganhar. Só faltaram mesmo os golos, mas concordo com aqueles que dizem que esta foi a melhor exibição da equipa encarnada desta temporada. Este foi o Benfica dos tempos áureos, que muitas alegrias deu aos seus adeptos e era uma das melhores equipas europeias. Só espero que em Itália a conclusão das jogadas seja melhor e que o Benfica passe à próxima eliminatória.
Só por curiosidade, as palavras mais ouvidas lá em casa aquando da emissão do jogo eram “Foda-se!”, “Chuta caralho!” e “Como é que é possível…?” Quem viu o jogo percebe…

Finalmente vai ser possível ver informação sobre os números de entradas e receitas dos filmes estreados em Portugal. Esses dados são contabilizados pelo Instituto do Cinema, Audiovisual e Multimédia que, graças à informatização das bilheteiras dos cinemas, permite criar rankings dos filmes mais vistos.
O filme mais visto entre 26 de Fevereiro a 3 de Março foi Alguém tem que Ceder, mas no ranking acumulado (desde 20 de Outubro de 2003) os primeiros três lugares são o Senhor dos Anéis – O Regresso do Rei, O Último Samurai e Scary Movie 3, respectivamente. Conclusões: o Portuga adora blockbusters

quarta-feira, março 10, 2004

Conversa entre amigos após o jogo Manchester-Porto:
- Oh, tiveram sorte…
- Mas que sorte? Aquela jogada é estudada, pá. O Mourinho sabe o que faz…
- Mourinho, Mourinho, Mourinho. Esse gajo já me irrita!
- O Mourinho é um excelente técnico! Sabias que ele já faz tácticas desde os 14 anos e tirou Educação Física, vertente de futebol? O homem sabe, pá…
- Hum… ele a jogar CM* deve ser mesmo bom…

*CM é a abreviatura de Championship Manager e é um jogo de computador onde o jogador é o treinador de uma equipa de futebol. A maioria dos homens neste planeta não é homem senão tiver jogado pelo menos uma época de CM. É o principal rival das namoradas ciumentas…

terça-feira, março 09, 2004

É por surpresas como a que me aconteceu ontem que eu adoro a blogosfera!
Quem é leitor assíduo do alternativo sabe que gosto de cinema e que duas horas que passo a ver um bom filme são duas horas ganhas. Gosto tanto de cinema que cheguei a pensar em seguir o ensino superior nessa área, mas não tive apoio paternal e adiei a minha escolha…
Mas não é isso que interessa. Ontem apareceu um amigo lá de casa e, depois de vermos o Six Feet Under, desafiei-o a ver um filme. Dos mais de dez que tenho lá para ver, disse-lhe para escolher um.

- Este é o quê?
- Pá, acho que é um drama daqueles para o forte.
- Hum, este já vi… e este?
- Esse é do David Lynch, não sei. Os filmes dele são um pouco para o estranho…
- Este?
- É com o Mel Gibson e é sobre aqueles desenhos feitos nos campos de milho, sabes, que pensam que são feitos por extraterrestres.
- Ya… e este?
- Esse foi-me aconselhado, disseram-me que era muito bom. É do gajo que fez o Snatch. O que é casado com a Madonna... Podemos ver.

E foi assim que começámos a ver o Lock, Stock and Two Smoking Barrels. Quem gostou do Snatch vai adorar. A realização é do mesmo estilo, a história tem também amigos que, sem saberem como, se vêm envolvidos em grandes esquemas com altos mafiosos, personagens que se cruzam e entrecruzam sem saber que estão do mesmo lado, uma banda sonora também de um muito bom nível e até muitos dos actores são os mesmos. Não tem o Brad Pitt, mas têm o Sting, é ela por ela.
Adorámos. Vibrámos, mesmo. E o final (eu dou muita importância ao fim de um filme) era o que eu faria. Brilhante!
E o facto pelo qual eu gosto da blogosfera, é que quem me aconselhou este filme foi o Z., um comentador do alternativo, que mais uma vez demonstrou um gosto cinéfilo excepcional.
Faço o mesmo com vocês. Aluguem-no, saquem-no e vejam-no o quanto antes. Vale a pena.

segunda-feira, março 08, 2004

Segunda-feira, dia de receitas... Hoje optei por uma receita vegetariana, para alternar um pouco as escolhas e sair daquela dualidade de prato (peixe ou carne).

Massa com soja à minha moda (4 pessoas)

Dificuldade: Fácil. Ideal para surpreender os convivas

Ingredientes:
300 gr. de granulado de soja (à venda num qualquer hipermercado perto de si)
400 gr. de massa (pode ser uma à escola, mas prefiro aquela dos tubos, não sei o nome certo)
Azeite
2 cebolas
5 alhos
Pimento vermelho
Tomate maduro
1 pacote de polpa de tomate
200 gr. de ervilhas
3 ou 4 cenouras
1 pacote de natas
Queijo fatiado
Sal e pimenta q.b.
Orégãos

Faz-se um refogado com um fiozinho de azeite, as cebolas e os alhos picados e o pimento e o tomate cortados aos cubinhos (sem as pevides). Depois destes ingredientes estarem cozidos, coloca-se a soja (esta deve estar em água, pelo menos, uma meia hora, sendo depois espremida utilizando uma peneira e aí sim está pronta a cozinhar).
Mexe-se tudo muito bem, envolvendo-se a soja no preparado. Junta-se o sal e a pimenta, os orégãos (a gosto), a polpa de tomate e as ervilhas e as cenouras, já cozidas, às rodelas.
Mistura-se tudo muito bem, deixa-se apurar uns cinco, dez minutos em lume brando e retira-se.
Entretanto, coze-se a massa em água e sal e um pouquinho de margarina. Depois de cozida, mistura-se com a soja.
Põe-se a mistura da massa e da soja num pirex e rega-se com as natas. Por cima, põe-se fatias do queijo e vai ao forno apenas a alourar. Quando o queijo estiver derretido, é sinal que já está pronto.

Sugestão: Na altura em que se colocam as cenouras e as ervilhas, pode-se acrescentar milho doce, azeitonas, cogumelos e um caldo Knorr.

Este prato é divinal e serve também para desmistificar a soja, que, para além de ter um nível proteínico bastante alto, baixa o colesterol e pode ser preparada tal e qual a carne. Já me aconteceu servir este prato aos chamados esquizitóides, dizer que era carne picada e os ditos até lamberam o prato. Só tem um senão: provoca alguns gazes...
Dia Internacional da Mulher - 8 de Março

Sabiam que a comemoração deste dia surgiu em 1857, quando um grupo de operárias de uma fábrica em Nova Iorque organizaram uma greve a fim de conquistarem as mesmas regalias que os operários do sexo masculino?
A partir dessa data, o dia 8 de Março serve para lembrar as pequenas grandes conquistas da mulher a nível social e fazer notar que ainda existem campos onde a mulher é discriminada.
Um exemplo que sempre dou é a condução. Para os homens, a mulher não sabe conduzir, mas a verdade é que nós temos menos acidentes que eles e as companhias de seguros defendem que estas são mais cuidadosas, baixando os preços aos elementos do sexo feminino...
E esta, hein?

sábado, março 06, 2004

No panorama musical português, os nomes escolhidos para vários grupos são por modas. Há vinte anos atrás, quando estávamos no início do nascimento do rock em Portugal, a moda eram os nomes violentos, como Xutos & Pontapés ou Peste e Sida.
Depois, apareceram os nomes por iniciais ou siglas, como os GNR e UHF. Mais tarde, vieram as bandas portuguesas que cantavam em inglês e brotaram inúmeros grupos com nomes ingleses: Blind Zero, Silence 4 e Blasted Mechanism são só exemplos.
Hoje, a nova tendência é escolherem nomes que tenham a ver com comida. Toranja, Ovo e Gomo são exemplos.
Não percebo porquê, mas parece uma moda para ficar, porque mesmo algumas novelas que passam na televisão portuguesa também têm nos seus nomes motivos alimentícios, como Morangos com açúcar (eu prefiro com chantilly, mas enfim) e Chocolate com Pimenta (isto deve dar uma volta ao estômago de ficar três dias na casa-de-banho).
Só espero que a nova tendência passe por nomes tipo Peace and Love, como “Coelhinho Cor-de-Rosa” ou “Eu Sou Gay e Não Bato a Ninguém”.
- Mas porque é que tens a janela aberta com um frio do caraças lá fora?
- É para arejar o quarto…
- Quê, peidaste-te durante a noite…?
Um video-clip não aconselhado a pessoas sensíveis! Tenham atenção à letra, está demais…

sexta-feira, março 05, 2004

Vá lá, a proposta acabou por ser, felizmente, recusada. Não percebo foi porque não alteraram apenas o contrato, mudando a alínea racista...
Os alunos de uma escola de Lueneburg, na Alemanha, decidiram ajudar as crianças de Chernobyl. Para isso, fizeram bolos em casa e começaram a vendê-los à fatia na sala de professores.
A iniciativa estava a ser um sucesso, até que dez por cento dos docentes tiveram de ser transportados até ao hospital mais próximo. Depois de um diagnóstico, ficou-se a saber que o ingrediente principal de um dos bolos tinha sido cannabis.
E o mais curioso é o facto de esse mesmo bolo ter sido o que teve mais sucesso junto dos professores, não sobrando nem uma única fatia...

quinta-feira, março 04, 2004

Sabiam que podemos destinar 0,5% do IRS a favor de instituições de solidariedade social ou de utilidade pública? A lei é a 16/2001, e é mesmo verdade!
O Estado fica obrigado a transferir o montante em causa para a organização da vossa escolha. Para isso, basta entregarem com a declaração de impostos o Anexo H e no quadro 9, campo 2, escrever o nome e número de contribuinte da instituição em causa.
Tal procedimento não implica qualquer aumento do vosso IRS! Apenas em vez de pagarem IRS ao Estado, transferem esse pagamento para a instituição que escolherem.
Acho que é uma excelente iniciativa que deveria ser posta em prática, ajudando assim quem mais precisa.
Acabadinha de chegar à Guarda, tive ontem um jantar de anos de um dos rapazes que mora comigo. Ele faz parte da tuna académica do nosso Instituto Politécnico e então o jantar foi muito divertido, porque os outros membros da tuna levaram alguns instrumentos musicais e passámos o jantar todo a cantar. Nunca tinha estado num jantar cantado!
Quando há estes grandes jantares, o restaurante fica sempre em estado de guerra: partem-se copos, bolas de papel feitas com a toalha de mesa andam a voar de uma ponta da mesa para a outra, bebe-se muito e come-se pouco. Nada de novo. O problema foi que, desta vez, fui eu a vítima da azelhice de outra pessoa. Estava a jantar muito bem, quando um amigo que estava sentado à minha frente, entorna um copo de vinho inteirinho para cima de mim, sem querer, claro.
Fiquei logo com um perfume novo, o “Adega Cooperativa de Cantanhede” e cheia de nódoas… Como o restaurante era perto de minha casa, fui mudar de roupa, porque esta estava mesmo num estado lastimável. Tudo bem, acidentes acontecem e nem me chateei muito com o acidente. Vinte minutos depois e com uma roupa limpinha, voltei para o restaurante, onde já estava tudo doido. E nem cinco minutos tinham passado, quando vejo vir um rapaz na minha direcção e, devido à enorme ventania que estava no restaurante, entorna o conteúdo do seu copo por cima de mim. Outra vez! Num espaço de meia hora, levei dois banhos de vinho.
Diz a sabedoria popular que entornar vinho é sinónimo de alegria. Realmente foi: devido ao estado alegre de ambos, eu fui baptizada duas vezes numa noite…

quarta-feira, março 03, 2004

E pronto, estas mini-férias que decidi tirar a fim de descansar um bocadinho já se acabaram, porque tenho aulas a que devo ir e uma licenciatura que devo tirar.
Claro que estes cinco dias não deram para tudo o que tinha planeado fazer (é sempre assim…), mas ao menos matei algumas saudades, revi amigos e fiz outros (sim, falo de ti, ó tu do penteado trabalhoso!). Também aproveitei para pôr em dia as passeatas pela blogosfera e usufruir da navegação ilimitada (não são duas palavras que ficam excelentemente bem juntas?). Daqui a duas semanas, mais coisa menos coisa, estou de volta, nesta rotina já habitual.
Só estou à espera da minha boleia para rumar às terras altas da Beira Interior, ao frio e às salas de computadores ou ciber-cafés.
Um beijinho e até amanhã!
Afinal, tanto eu como ele estávamos enganados. Já há bastante tempo que aqui se sugeriam receitas (obrigada JHJ pelo alerta). Citando João Pedro Henriques, o seu a seu dono.
Agora que isto está, finalmente, esclarecido, vou adicionar mais umas receitas ao meu livrinho pessoal e brindar nos próximos dias os meus colegas de casa com petiscos novos.

Moral da história: Adoro a blogosfera!

terça-feira, março 02, 2004

Como ando a ver muito pouca televisão, perdi dois fabulosos espectáculos que só agora, ao ler o Blogue dos Marretas, fico a par. E fico chateada, porque queria ter visto estas coisas. Ninguém me avisa...
Cá vai a receita do costume. Desta vez, decidi colocar aqui uma sopita que gosto bastante e que costumo fazer ocasionalmente, para ir comendo quando não me apetece cozinhar. Além do mais, uma boa sopa é rica em vitaminas e proteínas e baixa em calorias.

Sopa de cenoura

Dificuldade: Fácil. Ideal para o início das refeições ou mesmo para substituí-las.

Ingredientes:
1 kg. de cenouras
2 nabos
3 batatas
1 alho francês
1 bocadinho de abóbora (opcional)
Azeite e sal

Descascam-se os ingredientes e põe-se tudo numa panela com água para cozer.
Quando os legumes tiverem cozidos, passa-se tudo com a varinha mágica, deita-se-lhe um bocadinho de azeite (três colheres de sopa é suficiente) e duas ou três colheres de chá de sal (cuidado para não ficar intragável) e deixa-se ferver.

Sugestão: Coze-se, à parte, dois ovos e juntam-se à sopa, cortados em fatias.

Muito fácil, hein? E uma sopa quentinha no Inverno sabe sempre bem! E não é preciso ser um grande expert na cozinha para fazer este tipo de sopas.

segunda-feira, março 01, 2004

Há mais de um mês, a fim de inovar o alternativo, decidi postar umas receitas, coisa que nunca tinha visto em nenhum blog. Comecei então a colocá-las religiosamente à Segunda-feira e até então não tenho falhado.
Depois de ter começado essa iniciativa, foi com surpresa que vi o Herman, na sua rubrica da Pilita, a cozinhar ao vivo umas receitas muito sofisticadas e comentei no gozo que ele me estava a imitar.
Hoje, ao dar uma volta pela blogosfera, reparo que inúmeros blogs andam a sugerir pratos e maneiras de confeccioná-los (um cozido simples que é mais sopa, um arroz de bacalhau problemático, um robalo que me pareceu meio complicado de fazer e uma sobremesa que reclama o primeiro lugar na blogosfera).
Poderia mandar-lhes um mail a explicar que o alternativo já há bastante tempo que publica alternativas culinárias, mas antes disso prefiro ir ver o Six Feet Under que está quase a começar. Depois venho cá publicar a receita da semana e copiar as receitas dos outros, para aprender pratos novos.
Recebi um mail engraçadíssimo sobre portuguesices. Era para o pôr aqui, mas depois pensei em fazer um teste (é isto que fazem as pessoas que têm tempo livre) onde poderia ser medido o tuga que está em nós.
Depois de fazê-lo, calhou-me o seguinte:

"Andas aqui a ver andar os outros. Nao te preocupas em continuar as tradicoes que, talvez, uma avo alentejana ou nortenha te incutiu. Nao gostas de musica pimba, mas (va la) sabes alguns coros de muitos hinos da musica popular. Sabes que deves ter bigode, mas corta-lo (ou depila-lo) na esperanca de passares por espanhol. Es um tuga a meio-gas!"

Têm de desculpar é a falta de acentos. Malditos egocêntristas americanos que se esquecem que há outras línguas que utilizam acentos...
Podem testá-lo: E tu, quão português és?
E este ano já está. A cerimónia correu muito bem, sem incidentes nem mamas à mostra…
Acertei cinco das minhas sete previsões, mas não me importei nada de não ter acertado em todas, porque tanto o Sean Penn como o Senhor dos Anéis – O Regresso do Rei mereceram a estatueta. Realmente o ano passado foi um bom ano para a indústria cinematográfica e todos os filmes nomeados foram, na minha opinião, grandes filmes.
A grande surpresa dos Óscares este ano foi o pleno do Senhor dos Anéis, que levou os onze óscares para que estava nomeado. Talvez isto faça com que as pessoas que, incrivelmente, ainda não foram ver a trilogia, se rendam à fantástica obra prima de Peter Jackson baseada nos excelentes livros de J. K. K. Tolkien.
Queria ainda mencionar a vitória merecida de Sofia Coppola na categoria de Melhor Argumento Original e também que tive pena por o filme brasileiro, Cidade de Deus, não ter sido galardoado.
Bom, e agora vou-me deitar, que já são mais que horas.
Bom, está quase na hora. Vou fazer as pipocas e o café e instalar-me no sofá para ver um excelente espectáculo e confirmar as minhas apostas.
Se tiver coragem, venho depois cá comentar. Senão, fica para amanhã.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?